Seu dinheiro e o hábito de se comparar com outras pessoas

em

O maior inimigo do dinheiro é o hábito de se comparar com outras pessoas.

Sempre tive o sonho de ter um carro legal (acima dos 90 mil) e cá entre nós, é inevitável dizer que você nunca se comparou com ninguém.

Você rala, estuda, faz cursos, vira um profissional fodão, mas sempre tem aquela pessoa que se acha melhor que você e não teve nem 10% do esforço ou capacidade para isso. Aí você pensa: “Mas cara, isso é impossível, tem algo errado”.

O tapa na cara

lourenzo

Em março deste ano descobrimos que nosso filho de 03 anos, que nasceu prematuro de 06 meses, tem Leucomalácia (Paralisia Cerebral). Apesar de ser uma paralisia classificada como leve, ele teve algumas dificuldades e demorou para andar e falar. Nosso neurologista disse que deveríamos matricular nosso filho em uma escola bacana. Tá mas vamos pagar? Sim, vamos!

A escola foi tão boa para nosso filho que é um dos fatores que me “prendem” na pequena cidade onde vivemos. O Lourenzo com 03 anos já sabe contar até trinta, fala e reconhece o alfabeto inteiro, as vogais, as cores, as formas, etc! E consegue comer sozinho!

 

E o carro novo?

 

range-hover

 

Aí vem um babaca e fala “cara, você tem uma profissão legal, deve ganhar bem né?”

Um dos critérios para analisar a personalidade de alguém é a maneira como gasta o dinheiro! Muita gente tem  o tão sonhado carro, viaja 4 vezes no ano, mas vive um padrão de vida além da sua capacidade financeira!

Reclama que ficou 4 horas na fila do SUS esperando uma consulta, mas o carrão novo ta lá, as fotos das viagens, roupas de marca, celular top, etc…

Quantas consultas daria para pagar se tivesse um padrão de vida compatível? Ah, mas alguém vai dizer “É responsabilidade do governo garantir o atendimento no SUS!” Nós sabemos que na prática não funciona bem assim, você pode reclamar a vida toda ou tomar atitude para fazer o que deve ser feito!

 

O dinheiro é meu, gasto como eu quiser!

gastar-dinheiro

Sim, você tem todo o direito do mundo de fazer isso. Mas não adianta reclamar depois!

Sei que meu filho não vai lembrar de mim pelo carro que eu tive, pelo celular mais caro, pela roupa mais legal… ele vai falar “Meu pai era foda, pagava as contas em dia, me colocou na melhor escola, me levou nos melhores médicos, me deu uma boa educação e estava ao meu lado em todas as fotos!”

 

Não importa o quanto você bate, mas sim o quanto aguenta apanhar e continuar. O quanto pode suportar e seguir em frente. É assim que se ganha.

 

 

 

Deixe uma resposta

Receba por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

%d blogueiros gostam disto: